Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural

entrevistas

Entrevista - Secretário Executivo da Emater-RO, Sorrival de Lima

Há mais de 37 anos a EMATER-RO atua de forma consistente, com bons resultados, levando ao campo programas e projetos da política agrícola do Estado.

A ação da extensão rural vem desencadeando ações de grande importância para o desenvolvimento socioeconômico local. Com um público formado na maioria por pequenos agricultores da agricultura familiar, a EMATER-RO recebe apoio incondicional do governo estadual, através da secretaria de agricultura tem possibilitado a prestação de serviços mais qualificados, tecnologicamente equipados e eficientes.

Com a ampliação das atividades de extensão, proposta pelo Governo Estadual secretário Sorrival de Lima fala dos novos desafios e da força que a EMATER-RO representa no Estado.



A EMATER-RO é a principal responsável pela execução da política agrícola do Estado. Quais os Programas e Projetos que mais tem contribuído para o efetivo desenvolvimento sócio-econômico da região?

A EMATER tem levado ao campo diversos programas e projetos que vem sendo de fundamental importância para o desempenho do pequeno agricultor São programas que possibilitam o desenvolvimento econômico social e cultural, permitindo assim que a família rural possa ter uma melhoria significativa na sua qualidade de vida.

Dentre esses programas podemos citar o Promec (Programa de Mecanização Agrícola), que viabiliza a execução de cinco horas máquina, por produtor, para mecanização de sua propriedade. Só para se ter uma idéia, o programa teve início no atual governo, com orçamento de um milhão de reais e hoje (2009) o orçamento é de 26 milhões somente para esse programa.

Temos ainda o Semear, que distribui sementes de qualidade de arroz, feijão e milho, para que o agricultor possa ter uma lavoura de melhor qualidade e assim obter maior lucro na comercialização. Esse programa gera ainda outro, o Governo Solidário, onde o agricultor retorna, em grãos, a mesma quantidade recebida e, esses grãos são transformados em cesta básica e distribuídos às famílias de baixa renda no Estado.

Outro programa que podemos dar destaque é o Proleite (Programa de melhoria da qualidade e produtividade do leite), cujo recurso parte de uma renuncia fiscal do governo estadual e conta com parceria das indústrias locais para o Fundo Proleite. Esse Programa conta com subprogramas que vão desde a inseminação artificial do gado leiteiro (Inseminar), passando pelo Manejo de Pastagem e vai até a granelização do leite em tanques de resfriamento. Já foram distribuídos pelo Governo Estadual e emendas parlamentares mais de 100 tanques e, só para 2009 estão previstas as entregas de mais 180 tanques para as associações rurais. Além desses a EMATER-RO trabalha com mais 14 projetos que vem contribuindo com a permanência do homem no campo e com o fortalecimento da agricultura no Estado.

Mediante tantas ações desenvolvidas, quais os maiores entraves para o avanço da extensão rural no Estado?

Desde o início da colonização do Estado de Rondônia, cerca de 30 anos, os serviços de extensão rural tem passado por falta pessoal, de estrutura e até mesmo da presença do próprio estado nas ações de campo. Nós hoje, estamos numa situação privilegiada, porque o atual governo tem dado muita atenção ao segmento agrícola e tem fortalecido a EMATER-RO para o desenvolvimento agropecuário local. Com isso fica faltando mesmo estabelecer maior parceria com o governo federal para aquisição de equipamentos modernos e capacitação de nossos extensionistas, além de uma rápida definição da política para os assentados. Há oito meses que os assentados estão sem assistência na região e nós não podemos atendê-los porque não há essa definição ainda.

E quanto aos desafios?

Nós temos agora um grande desafio que é colocar o produtor dentro de um processo de legalidade. O Governo Estadual nos repassou, para este ano, várias ações que vão ao encontro desse desafio. Entre eles está a Regularização Fundiária, que agora faz parte das atividades da Secretaria da Agricultura e, consequentemente das ações da EMATER-RO, já que 80% das propriedades do estado têm alguma pendência. Outra ação que daremos início neste ano é o Licenciamento Ambiental que será fomentado por um regime de parceria com o governo federal para uma produção baseada no desenvolvimento sustentável. A partir de dezembro de 2009, com base no Decreto 6514, as propriedades que não tiverem licenciamento ambiental serão multadas.

O credito rural é um desafio que a gente já vem enfrentando e, pretendemos, neste ano, buscar maior adesão, diminuir as inadimplências e oferecer mais benefícios para os agricultores. Com tudo, o nosso desafio maior está em buscar parcerias para que o agricultor possa enfrentar essa nova proposta sem diminuir a sua renda.

Wania Ressutti
Assessoria de Comunicação EMATER-RO

« voltar