Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural

entrevistas

Entrevista - Leonardo Veloso

A Emater-GO foi criada em 1975, a partir da Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás - Acar-GO. Em 1999 foi extinta e transformada em Agência Rural. Com a reforma administrativa feita pelo Governo de Goiás em 2007, a Agência Rural passou a fazer parte da Seagro.

Em entrevista concedida à Asbraer, o secretário de agricultura de Goiás, Leonardo Veloso, fala da recriação da instituição e sobre como a extensão rural no Estado vai voltar a ser feita pela Emater-GO, que passa a ser um órgão vinculado à Seagro.








Secretário de Agricultura Pecuária e
Abastecimento do Estado de Goiás (Seagro)

Secretário, quando e por que foi extinta a Emater-GO?

A Emater-GO foi extinta em 1o de outubro de 1999, devido à uma decisão administrativa do governo da época. A Emater foi transformada em IGAP, depois em Agência Rural e por último, a Agência Rural foi incorporada à Secretaria. A empresa foi extinta devido à dificuldade de administração direta.

Por que o governo de Goiás resolveu recriar a Emater?

O governo resolveu recriar a empresa principalmente pela questão de agilidade. Quando incorporou a Agência Rural à Secretaria o governo estava em uma situação financeira muito complicada e teve que enxugar os gastos. Com essa incorporação economizou 600 mil reais por mês. Porém o serviço de extensão rural não tinha a agilidade necessária para atender aos agricultores. Então, o nosso desafio foi recriar a estrutura de empresa, sem impacto orçamentário.

Qual será a estrutura da Emater-GO?

Para escolher uma estrutura visitamos a Emater-MG, a Epagri-SC, vários modelos para poder adaptar à situação de Goiás. Optamos por uma empresa pública, porém mais enxuta. E devido à dificuldade de administração optamos por recriar uma empresa pública com um modelo mais enxuto. A princípio, o secretário de agricultura será o presidente da empresa, terá um conselho de administração. Mas para evitar que tenhamos uma grande estrutura vamos aproveitar a estrutura operacional da secretaria.

Qual trabalho vai desenvolver a instituição?

Além da Assistência Técnica e Extensão Rural, a Emater, também vai desenvolver o trabalho de pesquisa agropecuária. Como também não temos uma empresa de pesquisa, caberá à Emater desenvolver este trabalho.

Quais são as expectativas do governo do estado com a recriação da Emater-GO?

São as melhores possíveis. O principal é prestar assistência de qualidade a quem depende deste trabalho, como é o caso dos agricultores familiares, camponeses, assentados, e até mesmo à agricultura empresarial. A Emater irá beneficiar a agricultura como um todo. Estamos em um clima de muito otimismo com a recriação da Emater.

Em 2008, a Asbraer esteve em Goiás pedindo a reestruturação do serviço de ATER no estado. Na ocasião, em parceria com MDA chegou a apresentar um projeto de reestruturação administrativa e financeira? Qual foi a participação da Asbraer nesta conquista?

O papel da Asbraer foi de fundamental importância. Através da sensibilização a Asbraer mostrou a importância de se ter uma empresa pública prestando o serviço de ATER. Diante desta sensibilização o governo tinha a idéia de criar uma empresa para prestar este serviço. E a Asbraer, na pessoa do presidente José Silva, junto com a frente parlamentar e o MDA reforçou a necessidade de criação de um modelo mais ágil. Com isso, o desafio que coube à secretaria foi recriar a empresa sem o impacto orçamentário.

Agora com a recriação da Emater, o Estado de Goiás estará estreitando ainda mais a parceria com a Asbraer e com as outras Emateres para que todos possam estar unidos na construção de dias melhores para a nossa agricultura.

Maisa Alves - Asbraer
maisa@asbraer.org.br
31-93348093

« voltar